Notícias

Aprovado projeto da deputada Marisa que cria política estadual de coletivos de trabalho

17/04/2012

A Assembleia Legislativa aprovou por unanimidade na terça-feira (17), projeto de autoria da deputada Marisa Formolo (PT) que institui a Política Estadual de Coletivos de Trabalho no Estado do Rio Grande do Sul. A iniciativa consiste na finalidade de dotar o Estado de uma política focada no resgate dos vínculos sociais e produtivos de trabalhadores desempregados e à promoção de melhorias das condições de vida em comunidades em situação de vulnerabilidade.   A deputada Marisa relembrou na tribuna o trabalho do ex-deputado Padre Roque Grazziotin, que presidiu a Subcomissão Sobre o Desemprego: “Em 1999, tínhamos um governo federal submisso ao modelo neoliberal e ao grande capital, e as consequencias foram inúmeros, e a mais séria foi o alto nível de semprego. Então o trabalho do deputado Roque criou as condições objetivas para a criação do Movimento dos Trabalhadores Desempregados – MTD e um projeto semelhante ao que estamos votando hoje foi apresentado pelo Padre Roque, e o governo Olívio Dutra criou as Frentes de Trabalho”. Marisa saudou os representantes do MTD que acompanharam a votação, vindos de 13 cidades do Estado. “Este projeto que apresento e que teve a contribuição na formulação dos companheiros e companheiras do MTD, é uma ferramenta que vai proporcionar ao governo Tarso incluir no orçamento do ano de 2013 recursos que vão fortalecer as organizações solidárias de trabalhadores, tanto na produção, renda como na distribuição coletiva dos resultados”. A parlamentar salienta que é possível, por exemplo, fomentar em áreas de desempregados na região da serra gaúcha oficinas comunitárias para o desenvolvimento de tecelagem, aprendendo a produzir e a vender em conjunto. A petista destaca que da mesma forma é possível apoiar ações nas comunidades de pescadores artesanais, que em período de defeso, se organizaram para oportunizar lazer aos turistas. Nas populações indígenas, segundo Marisa, o trabalho de seus artesanatos podem servir para complementar a renda. Catadores de materiais recicláveis e o desenvolvimento de cooperativas de trabalho em resíduos sólidos. Nas fotos a deputada com o MTD após a aprovação e em reunião de mobilização